Blog

Os segredos do redesign de marcas – é melhor mudar ou atualizar?

O universo corporativo está em constante evolução. As empresas se adequam às necessidades de seus clientes, pessoas mudam o comportamento de consumo e novas tecnologias são implantadas no cotidiano de cada um, dia após dia.

Para manterem-se alinhadas ao mercado, empresas buscam soluções no redesign de sua marca. Porém existe ainda grande dúvida neste momento tão importante da empresa: mudar ou atualizar sua imagem?

Para acompanhar o movimento do mercado, é preciso um estudo para entender quais são as expectativas que esta mudança trará para a empresa e como será a forma que as pessoas irão perceber esta mudança.

O logotipo é a imagem da marca junto aos consumidores e cria entre eles uma relação afetiva, tornando-se uma importante ferramenta do ponto de vista do marketing.

Leva-se muito tempo para estabelecer um laço de confiança entre marca e consumidor e uma mudança radical pode não trazer os resultados esperados, podendo confundir o cliente e quebrar esta conexão.

Atualização


Na atualização temos uma releitura da marca atual, mantendo-se sua essência, ingrediente de sucesso da marca, o seu “DNA”. São mantidos os tons de cores e a base dos elementos gráficos. O trabalho deve continuar a transmitir os mesmos valores que a marca anterior oferecia, porém um um toque de modernidade, mostrando que a empresa está conectada aos seus valores e comprometida com as novas necessidades de cada cliente.

Mudança



A mudança total de uma marca, é por vezes, um processo ainda mais complexo do que a concepção de um novo produto em si. Um profundo estudo baseado em pesquisa deve ser levado em consideração, já que o histórico de vendas, curva de satisfação dos clientes e mudanças societárias devem ser observados. Além disso deve-se mensurar quais os objetivos da empresa daqui para frente (reposicionamento da marca, redefinição de público, novo segmento, etc). Uma mudança geralmente indica uma mudança de atitude da marca.

Nem mudança, nem atualização



Imagine o McDonalds sem os arcos dourados, pense na Adidas sem suas três listras ou vislumbre a Apple, de Steve Jobs, sem a maçã mordida. É praticamente impossível fazer isso. O logotipo de uma empresa simboliza sua identidade junto ao público.
Uma simples mudança pode causar prejuízos milionários. Um case famoso ocorreu em 2010 com a marca americana GAP. A empresa, dona de marcas como Old Navy e Banana Republic e de um faturamento anual de US$ 14,2 bilhões à época, não quis correr o risco.

Durante meses a empresa preparou a mudança visual de sua marca para, de certa forma, rejuvenescer a marca. A empresa trocaria seu famoso logotipo, aquele com letras garrafais na cor branca sobre um fundo azul, por outro com letras maiúsculas e minúsculas na cor preta sobre um fundo branco.

O quadradinho azul apareceria sutilmente sob a letra “P”. A companhia chegou a apresentar sua nova identidade visual. Só apresentou. Não deu nem tempo para amadurecer a ideia. Para ser preciso, a novidade durou apenas sete dias.

Diante de uma enxurrada de críticas de internautas em redes sociais como Facebook e Twitter, a empresa voltou atrás e aposentou o jovem logo. Tudo isso porque a GAP esqueceu de um detalhe importante: consultar os consumidores (cadê a pesquisa?).
Para ambos os casos, procure sua agência de design que poderá oferecer a melhor solução para sua marca, seja para uma simples atualização ou mudança profunda.

Rogerio Moreira é Diretor da AgênciaPop Propaganda, de Campinas/SP.
É publicitário, jornalista, blogueiro e especialista em marketing pela FGV.


+ Artigos