Blog

Chegou a hora de renovar o logo de sua empresa, e agora?

Renovar é preciso. E com a marca de sua empresa não é diferente. Chega um momento em que o logo não representa necessariamente o momento atual da empresa e nem os propósitos para o futuro.

A partir deste momento, temos dois caminhos possíveis: construir uma nova marca do “zero” ou partir para um redesign que mantenha o “DNA” da marca e, além disso, transmita a inovação que o momento sugere.
Independente da opção a ser seguida, o recomendado é contratar um estúdio de design ou agência de publicidade para lhe auxiliar nesse importante projeto que representará a imagem de sua empresa daqui por diante.
É claro que os profissionais envolvidos no projeto irão considerar todas as informações para que o resultado seja o melhor possível, mesmo assim, vou dar cinco dicas que te ajudarão antes de iniciar esse importante projeto:

1 – Entenda bem do seu negócio

Para ter uma marca de sucesso, o empreendedor deve conhecer muito bem o seu próprio negócio, entender quais são seus pontos fortes, fracos e os seus diferenciais, além de ter habilidade para identificar de qual forma quer se apresentar ao mercado.

2 - Capriche no briefing

Antes de iniciar o trabalho, forneça ao profissional que cuidará do seu projeto, todas as informações importantes que a marca deve representar: uma cor específica, um símbolo que represente sua atividade etc. Conte também a história de sua empresa. Diga como começou, como está hoje e onde você pretende chegar com esta nova marca. Rabiscos, mesmo que simples, ajudam e muito no processo e são sempre bem-vindos. O designer entende de arquitetura de marca, mas quem realmente tem a visão de mercado em relação ao seu produto ou serviço, é você.

3 - Seu logo não precisa demonstrar o que a empresa faz

Você não precisa colocar o seu produto no seu logo. Assim como a Apple não vende maçãs mordidas, o logo de uma clínica odontológica não precisa mostrar dentes e o de restaurante não precisa mostrar comidas. Além de não ser fundamental, pode fazer de sua marca “apenas mais uma”.
Lembre-se: a BMW não tem um carro no seu logo, a Nike não mostra um tênis, o Burger King não tem um hamburguer em sua marca.

4 - Menos é mais

Ser simples é a melhor das opções. Uma imagem de leitura rápida, com cores bem definidas (nada de logo multicolorido, cheio de degradées etc). O logo deve ser pensado com cores sólidas. Posteriormente, no manual de utilização da marca (que o estúdio ou agência irá oferecer) haverá as possibilidades de outros tipos de aplicação como efeitos de cor, preto e branco, escala de cinza etc.
Quanto mais simples, melhor será sua adaptação para embalagens, impressos, websites, redes sociais e outras mídias.

5 -Tipografia

A escolha da tipografia pode ser a parcela mais complexa no processo de criação. A mudança de uma fonte com serifa para uma fonte sem serifa, já mostra uma grande diferença. A primeira, mais clássica e parecendo mais requintada, possui melhor legibilidade em mídias impressas. As opções sem serifa são melhor inseridas em conceitos mais modernos. Estilos de fontes muito famosas (e muito utilizadas sem critério) tornam a marca “comum” e podem criar ligações indesejáveis de sua marca com outra, que não tenha nada a ver com o seu negócio.
Obs.: é claro que o desenvolvimento de um logo contém muitos outros aspectos envolvidos, por isso é fundamental que um profissional realize esse trabalho. Somente ele poderá lhe orientar sobre a melhor forma de sua nova marca obter o sucesso esperado.

Obs. O logo que ilustra este artigo foi desenvolvido pela Designer Gráfico Maria Eduarda Guitti Mazotini dudaguitti.wordpress.com

Rogerio Moreira é membro do BNI International, empreendedor, fundador da AgênciaPop Propaganda, de Campinas/SP, Publicitário, Jornalista, Blogueiro e Consultor de Marketing com MBA em Comunicação Estratégica pela FGV.

+ Artigos